sábado, 19 de março de 2011

Como uma onda.

A única coisa que entendo de mim mesma é que tenho a estranha capacidade de ser Capitu, Macabéa e Sofia numa pessoa só. Não sei se sou tão forte quanto pensam, nem tão dócil. Muito menos tão implicante e revoltada quanto pareço. Sou estranhíssima e isso é bom, pelo menos eu gosto de coisas assim.
Sinto o universo todo dentro de mim e sou rasa demais pra ter algum suporte quanto a isso, por isso que ando tão quieta ultimamente. É que dá um nó. Tudo penso e nada sei. Por que então eu iria abrir a minha boca, se sei que mudarei de assunto antes de acabar a frase? Gosto de situações claras, e ultimamente a única coisa mais clara que vejo é a água turva de uma espécie de tsunami que insiste em arrebentar todos meus suportes há alguns meses. Tem vezes que ele dá uma trégua, e volta pior. Eu sei que volta, uma hora. Por mais que demore.
E sabe? Você não aprende nada quando ele dá essa trégua. A única coisa que você faz é respirar fundo e tomar cuidado, porque não há mais nada que você possa fazer. Agora, quando ele está quebrando com toda a força em tudo que acredito, quando ele está inundando até a alma... aí é que você aprende algo. Basicamente, em todos eles você precisa (pelo amor de Deus, presta atenção nisso) ver alguma coisa boa, qualquer coisa, nas pessoas e nas coisas e nas atitudes e nas palavras, porque é isso que vai te salvar. É você ver algo bom atrás do amargo, porque senão você enlouquece, morre, se machuca, e pior de tudo é quando você machuca os outros. Peso na conciencia é a pior coisa nessas horas.
Nesses tempos de trégua também vão vir todo tipo de pessoa te chamar de dissimulado, esnobe, inquieto, estranho e confuso. E sinceramente? Vai ver é tudo isso mesmo. Mas tudo isso é consequência de todo tipo de dano causado. E se os outros não entendem isso, meu bem, mande tudo pro inferno. Porque pra entender essas coisas precisa ter passado por isso. E sangra, dói, seca. E não é fácil, tanto que alguns nem chegam ao tempo de calmaria.

Alguém entende o que quero dizer?

5 comentários:

Moniky. disse...

Entendo exatamente. E, ao menos comigo, que me sinto de uma forma bem parecida com essa, problema está na dificuldade que tenho de ver o lado bom das coisas e toda essa sensação que sempre me vem, de que eu vou afundando cada vez mais a cada onda. Gosto do teu blog e da maneira como você se expressa nos teus textos'.
Abraço, até log'

niky

J.M.L disse...

E como entendo, e sinto todos esses estranhos sentimentos que vira e mexe vem bater a minha porta.

Duds. disse...

Claro que entendo, isso praticamente descreve como passei nas ultimas semanas. Adorei demais isso, obg :*

Desvarios de uma adolescente disse...

Eu acho que entendo também me sinto assim,as vezes também como sempre (:

Andre disse...

Caralho!!!Me identifiquei com td. Tbm tenho um blog mas nao é nada comparado ao teu.