quarta-feira, 27 de maio de 2009

Sentimentos.

Uma louca descabelada por dentro, uma garota tranquila por fora. A Maria Rita em seu estado normal amaria a humanidade, ela mesma, pensaria em cada detalhe, entenderia cada ironia de um jeito rápido que somente ela faria. Minha respiração está normal enquanto meu coração está se debatendo, se arrebentando; uma vontade gigante de rir e de gritar, de chutar o planeta e te ver, de me render e me defender.
Sentimentos são tão mesquinhos e avassaladores como uma enchente, não dá espaço para o raciocínio, nem para a minha liberdade. Irritante, o que eles pensam que são? Os donos do mundo, fazendo meu coração passar por uma montanha russa? Isso é tão cruel, tão ridículo.
Eu me quero de volta, eu quero minha sanidade de volta, minha vidinha boba de volta. A pior coisa do mundo é seu corpo se passar por uma mãe e seu coração pelo filho faminto, ele chora, grita, quer, e você não tem nada para oferecer, tudo o que tem está tão longe, tão fora de alcance. E quem sente tudo é você, ele está encravado em você com todas as forças, suas lágrimas escorrem querendo ajudar, querendo alimentá-lo, mas é tão impossível. E o que fazer? Tacar-lhe uma pedra? Oras, isso é horrível! Qual monstro apedrejaria um filho faminto? Talvez um corpo sofrido.

3 comentários:

Calvin disse...

È como eu já disse. Tudo tem seu lado positivo. E o lado positivo das suas confusões é o que você acaba escrevendo sobre elas.
Boa descrição, Marry. Adoro-te =)

J. disse...

Hey,
Em certas situações, nos não estamos completamente dentro de si. As vezes temos aquele dia que a gente tem vontade de gritar por motivo algum. Tentamos nos controlar, mas é meio dificil vamos dizer. Sempre assim, teremos alguns dias que realmente não estaremos 100% consiente, ou melhor, com a cabeça no lugar.

Texto maravilhosocomo sempre, se der passe lá no meu blog.

Bjbj

J.

ℓiiα, ♥ disse...

É, aaamo seus textos.
dizem tudo, sempre.

beijos marry.