segunda-feira, 1 de março de 2010

Preenchimento vazio.


Na verdade (a garota sempre tentando ser transparente consigo mesmo, uma quase adaptação de Macabéa), não sei como começar esse texto, talvez porque não saiba nem como organizar as palavras certas, no lugar certo da minha mente inundada por essa perdição desconexa.
Pensando bem, o que há dentro de mim se trata de quê? Acho que é um preenchimento vazio... Algo existente entre minha mente e meu coração, um certo lugar que não sei localizar. E agora me pergunto: Será que esse lugar é a tão falada alma?
Sei lá, mas, milagrosamente, acho que sei sobre o que é esse vazio. É vazio de amor, de abraço, de corpos entrelaçados e olhos desejosos; também vazio de boca faminta, sorriso sincero e felicidade mútua.
O preenchimento se trata de memórias inexistentes, saudades de não sei o que, flashs psicodélicos e tristeza. Tristeza? Então é amor... Talvez? Não, é o oposto dele, é a incapacidade de tê-lo. Dor de amor dói, mas a morte e falta dele é de uma tristeza implacável: quase um velório com caixão lacrado e vazio, com o corpo perdido por aí. É ver a vida em branco e preto, bonita, confusa e tão sem graça, repleta de uma indiferença desconcertante.
O coração teima em bater. Mas e a lágrima? O riso? Os sonhos?? Teimam em não existir.

7 comentários:

Luciana disse...

Eu não sei,mas talvez todo mundo sinta esse vazio. Acho que o que sinto atualmente, é da saudade. Aquela saudade gostosa do tmepo que não volta mais, sabe? Creio que o importante do vazio é que ele nunca seja preenchido. Como? Simples. É esse vazio que nos faz correr atrás de algumas coisas. Vazio de saudade faz procurar músicas, fotos e rever lugares que nos tragam o gostinho do passado e volta. Vazio de amores nos fazem ir atrás deles, enfim. O problema mesmo é quando o vazio é a falta de algo indefinido. Afinal, como correr atras do vago?

Felicidade Clandestina. disse...

Uma hora ou outra esse vazio bate, essa falta de 'nao se sabe ao certo o que'... eu to assim,exatamente entre essa linha da razão e da loucura.

Gostei demais flor.

beijos

disse...

De vez em quando esse vazio é bom. Quando a vontade de preenchê-lo é grande, acaba sendo divertido (mesmo que dificil). Mas se ele perdura, aí dói. Porque vazio também dói. Acho que doa muito mais do que o cheio (mesmo que cheio de sofrimentos).

Espero que seu vazio esteja ainda bom, e que se preencha.

- gabs, disse...

A falta de amor machuca, mas ainda acho melhor por sua falta do que por sua presença desconsertante.
Adorei o lay *-*

Milla disse...

é talvez a vida sem amor seja realmente um preenchimento vazio, mas há que diga que conviver com isso é fácil..no mínimo a pessoa que diz isso é uma boa mentirosa. viver sem sentir nem um pouco de amor é viver uma vida sem cores e sem sentimentos aleatórios, deve ser estranho e no minimo curioso :)

beijos

Jéssica Fiaz disse...

Eu acho que o coração é como uma quarto pequeno que se você enche de móveis fica sem espaço. E ai você se sente sufocada. Mas as vezes dá uma vontade de fazer a loucura de encher o quarto, nem que seja pra depois você ficar sem poder se movimentar, intacta mas aquecida no sofá.
Amei o texto, relata tudo o que eu tô sentindo agora.

pseudonimatos disse...

Me identifiquei com o post... Sinceramente, eu sei que meu vazio vai ser preenchido na hora certa, inexplicavelmente, eu sei.
Hm... Gostei daqui. :)