sábado, 7 de novembro de 2009

Oh, baby.

Não, querida, pare de chorar.
Ontem eu olhei para o céu e vi nuvens negras em um céu vermelho. O meu sorriso enganava a todos, o mesmo sorriso que permanece agora. Quem vê, pensa que foi algo bobo; que eu não chorava o tempo todo e não tinha os nervos a flor da pele com taquicardias de hora em hora. E quer saber? Me machuquei como se colocassem arames enfarpados em mim, doeu mais que tudo. Doeu principalmente por não ter anestesia. Não sei se meu coração já está cicatrizado, não sei se ele melhorou ou se apenas me acostumei com a dor. Só descobri que não sinto nada, como se não tivesse acontecido algo tão frustrante comigo. Tão livre e forte como o vento entre o Atlântico e o Índico. Hoje eu não precisei olhar o céu, só pelo brilho nos meus olhos já sei que tem um sol brilhando lá em cima.
Querida, tente olhar para cima, tente fazer o que eu fiz. Está vendo por trás dessas nuvens escuras? Está vendo um brilho um pouco apagado lá no fundo da tormenta? Espere que é o sol. E quando você sentir o seu calor, perceberá que sua dor é algo inofencivo perto do brilho e do movimento de um céu azul.


Baby, compra o jornal e vem ver o sol, ele continua a brilhar apesar de tanta barbaridade. - Barão Vermelho.

P.S.: A Maria Rita ama chuva (no sentido real da palavra).

7 comentários:

Calvin disse...

Dificil falar sobre algo assim, subjetivo.
Acho que se não percebermos que por trás de toda nuvem escura existe um sol que brilha,não continuaremos nunca. Sempre há uma recompensa, e muitas pessoas precisam olhar pro céu pra perceber ela, quando muitas vezes nem precisa, basta sentir, sentir o calor do sol.

Isa* disse...

é o que dizem né? depois da tempestade, vem a calmaria.
na verdade, a calmaria sempre esteve lá, mas a gente só tinha olhos pra tempestade...

Clara disse...

Todo mundo é parecido quando sente dor...

Não se sei sobre dores e céis (plural de céu?), mas sei que tudo passa, até uva. Portanto, a alegria sempre volta e, consequentemento o azul descoloriado pela dor.

Gabi Petrucci disse...

"Não sei se meu coração já está cicatrizado, não sei se ele melhorou ou se apenas me acostumei com a dor." Define meu estado atual!

J. Cobain disse...

As vezes a gente não quer ver o sol, não damos valor à luz fraquinha por tras das nuvens escuras. Só choramos, e não fazemos nada pra tal dor passar, e ela fica aqui, no começo incomoda mas com um tempo até achamos que ela faz bem. Isanos!
Amei o texto.

Milla disse...

o sol sempre vem, acho que isso é o que me inspira a continuar firme e forte nos dias em que tudo está nublado :)

beijos

Felicidade Clandestina. disse...

Atras das nuvens escuras há um sol lindíssimo \o/*

.Adoro Barão* só pra constar ;rs

;) Bj Bj.