segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Algo assim.

Eu sei, sou pouca demais, pequena demais. E não digo somente no sentido literal da palavra, digo nas entre-letras dela. Me refiro às ranhuras, arranhões, pequenos espaços vazios; não tenho a certeza que agora falo dessas duas palavras, talvez eu fale de mim mesma. É como se toda anarquia da minha mente, toda violência da minha alma se rebaixasse ao choro e obediência partidária de um coração partido. Coraçãozinho teimoso e cego. Astuto, embora.
Não sei. Faço sentido para alguém? Agora está tudo dentro da minha cabeça gritando: "Diga isso!", "Faça aquilo!", "Fuja, garota!", "Não, não. Fique e insista, sua covarde!". E o que faço?
Me fecho em mim, com meus desamparos, meus gritos e minhas guerras pseudo-racionais. Lá fora também ouço uns gritos, umas exigencias apressadas, uns consolos, umas broncas.
Consigo lembrar quando te mandei uns dos diálogos mais lindos de Caio F. Abreu, quando ouvia uma música do Tequila Baby que me fazia lembrar você - não porque você gosta de rock, mas porque eu gosto e isso também me salva -, quando eu acordei desesperada às 3:43 da manhã e em plenos 8ºC eu, descalça, me preocupei se iria te encontrar ali acordada ou não.
Não, não exijo muita coisa em troca; não vou jogar na cara de ninguém o que meu coração resolveu me mandar. É que, de algum modo e em algum lugar, eu queria que você me mostrasse o sentido para toda esta sua falta de sentido, lógica, sentimento.
Enquanto não acho, procuro algo útil para repetir à mim mesma. Algo assim:
- Vai doer, menina. Mas vai passar, vai passar, vai passar, passar, passar...

6 comentários:

Carol Lago disse...

q lindo, e tão sincero (:

Desvarios de uma adolescente disse...

Adorei como sempre (:gj

naty c.m disse...

Tenha a certeza de que o que está repetindo para si mesma não é mentira! A gente nao percebe isso na hora, mas vai mesmo passar! Continuará marcado..Para sempre, disso nao tenha dúvidas. Mas isso te faz ser quem é..doendo ou não!

Me identifiquei muito...
Adorei o texto!
Sorte pra ti!
Beijos

Whiskley Lee disse...

Confesso que me identifiquei um pouco com o seu texto. Sincero. Isso é bom. Pessoas sinceras,palavras sinceras. Isso me rendeu uma certa inspiração. *-*
Po, gostei muito²!
Beeeijos ;*

Rafael Cotrim disse...

O tempo cura tudo...

Deixe estar.
:)
Beijos querida,
adorei a sinceridade.

Vi disse...

nossa, muito lindo mesmo *-*
posso imaginar você escrevendo esse texto, procurando as palavras certas e o sentido de estar escrevendo tudo aquilo.
se cuida :*