domingo, 29 de agosto de 2010

Sei lá.

Sei lá. Tudo começa e termina com um "sei lá" gigantesco. E entre tudo isso existe o possível. A possível repetência, possível ditadura, possível ignorância, possível existencia, possível futuro.
A possibilidade não existe por conta da falta de. Também não existe por que fulano não te quer ou por que ciclano não se decidiu.
Veja bem: você não pode pedir reciprocidade amorosa, sexual, fraternal ou qualquer coisa; mas quando alguém não tem reciprocidade sincera por você, é porque não existe consideração nenhuma com a tua alma frustrada. Se não há consideração, não deveria haver absolutamente nada.
E você se encontra (de novo) no deserto de almas de Caio F.

9 comentários:

Desvarios de uma adolescente disse...

Nossa a alguns minutos eu pensei caramba queria ler algum texto de maria rita e olho aqui no blog,mas um textinho dela pq os textos de maria rita me tranquiliza me acalenta enfim porque simplemesmente me acustumei a ler textos de maria rita como me acustumei com varias coisas a mais :x

Mariah disse...

hahaha, tão ruim quando a gente espera que tenha reciprocidade, né? ><

mahpessoa disse...

obrigada por ter passado lá no blog!
Bjs...
Marília
www.mahpessoa.blogspot.com

Whiskley Lee disse...

Realmente. Aprendendo muito lendo sua postagem. O texto que me leva a ver que a vida é muito mais do que parece ser. (:

Henrique Miné disse...

"Tudo começa e termina com um "sei lá" gigantesco"

Há tempos não leio algo que faz taanto sentido, sabia?

eei, descobri que meu blog está linkado aqui, obrigaado! x)

Beeeeijos

gabriela m. disse...

aah, você escreveu isso pra mim, eu tenho certeza.

Vi disse...

sei lá é uma das frases que mais uso. acho que porque me da muitas possibilidades.
e adorei o texto.
se cuida :*

Hiorrana disse...

Não se pode exigir reciprocidade.Mas somos humanos, e vivemos esperando algo em troca.
Vivemos da troca... ¬¬

Belo texto.
E qto ao seu cabelo (postagem antiga)
morro de vontade de passar máquina no meu, mas não tenho coragem.

Beijos

Cacheada disse...

Eu não me frusto fácil, nem por pouco!
;)
sei lá, talvez um mecanismo de defesa!