sexta-feira, 23 de abril de 2010

Só podia ser comigo. ¬¬'

Aviso prévio: Quem não quer-não gosta-religião não permite-acha um horror ler palavrões, aperte Alt+F4 e descubra a América.

_____________________________________________________

Nossa! Cara, eu tenho tanta, mas taaanta sorte que não custava nada eu ter deixado o espermatozóide do meu lado passar na minha frente, porque seria somente alguns segundos na pré-vida de bondade, né?! Mas nãããão! Eis que fui rápida (eu? rápida?! sinceramente, os espermatozóides do meu pai deveriam ser a lerdeza suprema então.) e ambiciosa, e aqui estou. ¬¬'

Pra começar, terça passada resolvi ir no centro, normal. Assim: A meeerda da minha educação física começa às 14h (na terça) e minhas aulas acabam 12:30h, sendo que eu ficava na escola nesse meio tempo, com o povinho que ando, comendo, bebendo, rindo (ou não), zanzando de lado pro outro e tals. Ok, então naquele dia tivemos a brilhante ideia de ir até o centro, que é uns 2 Km (atenção: meu senso de distância não é confiável. sério.), e tem que atravessar a avenida principal; como somos jovens revolucionariamente preguiçosas chegamos à conclusão de que sabemos atravessar ruas, e não vimos nenhum perigo psicopata-obssecivo nisso. Lá fomos nós na hora do almoço. Eu, Mandy, Fee e Ge nos lançamos à ardua caminhada rumo às barraquinhas legais da pracinha principal em pleno sol da uma hora; sendo que eu a-v-i-s-e-i minha mãe um dia antes que talvez eu fosse pra lá na hora do almoço, mas horas depois descobri que ela simplesmente não ouviu-esnobou-esqueceu o meu comentário.
Como disse antes: estava sol, então estava quente, ok? E minhas blusas de uniforme estavam para lavar, então naquele único dia fui com uma regata qualquer e o moletom do uniforme pra escola, ninguééém iria ver, e estava frio de manhã. Eu, como não sou besta nem nada tirei meu moletom assim que passei do portão pra fora da escola, não ia suar igual um pinguim em Ipanema, né? Tá, gente... Uma coisa que não entendo: estava na RUA, VIA PÚBLICA, USO ROUPA QUE QUERO, DEMOCRACIIIA², qualé o problema de eu andar com minha regatinha velha na hora do almoço?! Pois bem, parece que meu colégio (e o mundo todo) vê to-do problema nisso. Porque eu não faço ed. física, mas sou obrigada a ficar quietinha sentada na arquibancada lá da quadra vendo aula e a Mandy também é o mesmo caso, então enquanto a Fee e a Ge saíram correndo pra escola antes das 14h. E eu e a Mandy ficamos indo beem devagar, e daí sentamos na muretinha da calçada da av. principal, pertin pertin da escola; digo, sentamos: Mandy, eu e minha regata-que-não-é-do-uniforme-beeijos. Daí, pelo jeito, todos os coordenadores lá da escola nos viram lá, naquela zona perigosa e promíscua sem unifome, e ficaram bravos e preocupados. E tipo, lógico que nos atrasamos, chegamos lá na escola umas 14:30h, mas eee? A gente ficou uns dez minutos ouvindo uma louca assassina evangélica pregar sobre a igreja dela e nos olhar com cara de assassina total, eu tava com medo, na boa, principalmente depois que ela disse: "depois de batizados, podemos fazer o que quisermos na Terra, que o Reino estará garantido". Peralááááá, porra! Então ela podia me matar porque na mente dela isso não seria merda nenhuma, né?! Cara, suei frio quando ouvi aquilo, se eu já tava com medo, depois já até procurei a saída de emergencia milagrosa.
Beleza, que é perigoso a gente aprendeu, mas já que TRÊS COORDENADORES NOS VIRAM, CUSTAVA AS CRIATURAS DIVINAS PARAREM E FALAREM: EEEEI, ISSO AQUI É PERIGOSO. CARONA PRA ESCOLA, MENINAS?! Mas, nããão! Esperaram a gente morrer ou então sobreviver só pra ir pra coordenação depois. Aconteceu a segunda opção. Percebem que eu enfatizei bem a minha regata na rua, né?! Então, é porque quando cheguei lá, a minha ex coordenadora suuurtou, queria total explicação porque eu tava sem uniforme na rua, e porque fui só com o moletom da escola pra aula. Tipo, tentei explicar que a rua é pública e blá, e que eu não entendia o problema; mas daí achei mais importante eu tentar explicar que fui pra escola com a maldita porque sou p-o-o-o-o-b-r-e e só tenho duas míseras blusas e elas estavam pra lavar, mas tipo, tudo o que aconteceu foi o de sempre: a mulher me olhou com cara de nazista-alok-Hitler-pegael raivinha e daí viu que eu não tinha culpa de ter duas blusas, e teve que abaixar a cabeça e sair, com má vontade. O que meu coordenador falou pra mim, de boa, eu abaixo a cabeça e concordo. Maaass, assim: ele ligou pra minha mãe e contou pra ela os crimes daquela região, e o que ela fez?! Disse que não sabia que eu ia no centro. CAALMA! COMAÇIM NÃO?! Eu comeentei na segunda, seenhor! Mancada, né?!

Enfim, voltei pra casa, expliquei tudo pros meus responsáveis-sustentadores-pais e eles entenderam. Mas isso não impede do inspetor, por motivos misteriosos, estar com raivinha de mim e da Mandy, ainda.

Continua, ok? A semana foi longa.

7 comentários:

A. disse...

a mandy da historia falando:
"óooh god!!
nossa semana só ta no começo!
e q mal começo o.o
td culpa da nazista da maria luiza e do mal comido do arena! ¬¬"

Vi disse...

nossa, que dia oo'.
parece que os inspetores adoram implicar com quem não usa uniforme.
concordo, não tem culpa se tem apenas duas camisetas ._. porque eu estou na mesma situação.

tomara que melhore semana que vem :*

Fê...100% Dolls disse...

shauhsua ai ai Marry.. nem falo nd ahsuahs ..

Mariah disse...

nossa, que confusão! huahuahuhua
ótimo post :)

Carolinne Taveira disse...

dia legal ._.

Milla disse...

Tem coisas que acontecem que nem dá pra acreditar e ainda mais por motivos bobos --'

Bee disse...

não sei seu nome, nem sei que você é.. não quero seguidores e nem sou uma 'carente de amigos looouca', que veio aqui te atazanar..

só que vc definiu exatamente em um blog, a frase que mais pisca na minha cabeça, durante todo esse momento...

"CANSEI DE VOCÊS"
e cansei mesmo...
enfim... você é do rio? estuda aonde?